Arquivo do blog

segunda-feira, 7 de maio de 2012



Deixa eu te dizer um verso novo?

Um poema é sempre inédito.
Ainda que você já o tenha lido.


É por isso
que você nunca termina
de ler um livro de Poesia.

Cada leitura desvenda
algo novo.

Mas não foi
o poema
que mudou.

Cada letra
ainda é a mesma letra
que o poeta escreveu.

É o olhar de quem lê
que ilumina o verso
com outras cores
outras sombras
outros brilhos.

Novos significados descobertos.
Ou, quem sabe, os mesmos
em alguém, agora,
diferente de si mesmo.

E se encanta novamente
é porque
encanta
uma nova
mente

Somos nós
que, milagrosamente,
nos modificamos a cada instante.

No  momento
em que terminar de ler este poema,
você
já será outro.

E, no minuto exato,
em que eu terminar
de dizer este verso
eu
já serei outra.

Podemos, então, nós dois
recomeçar o verso
juntos.

E será um novo verso.

Um déjà vu encantado
da Poesia Humana.

Então,
deixa eu te dizer um verso novo?

Maio de 2012

Um comentário:

André disse...

Querida Flávia, seus poemas, como sempre, são uma inteligente mistura de poesia e de filosofia. Sim, cada poema se renova com as releituras.

Parabéns também pelo déjà vu escrito corretamente. Nem sempre isso acontece... *rs

Um belo dia pra vc, beijo.