Arquivo do blog

domingo, 25 de novembro de 2012


Fim do Mundo (?)

Hoje eu organizei meus e-mails pessoais. Insônia faz isso com a gente. Achei um e-mail que meu pai me mandou há alguns meses.

Meu pai costumava me mandar e-mails que achava interessantes. E eu, mesmo quando ocupada, dava um jeito de ler e ligar de volta para ele para conversar sobre o assunto. 
Eu gostava de conversar com ele. Os e-mails eram só mais um pretexto.

Às vezes, levava uns dias para eu conseguir ligar. E eu guardava as mensagens até lá. Foi assim que esta mensagem ficou guardada na minha caixa de entrada.

Eu não deletei porque não tive coragem. Porque não discutimos o assunto. E porque foi a última.

O título era "Entendendo a Profecia Maia". Contava sobre o fim do mundo. Não como o fim do planeta, mas como um momento de mudanças gigantescas nas vidas das pessoas.

2012 tem sido um ano de mudanças gigantescas. E dolorosas. Por mais de um motivo. Hoje, mesmo, eu brinquei com um amigo dizendo que eu sabia que seria o fim do mundo, mas achava que seria algo mais coletivo... :)

E, nesta noite insone, aqui está o e-mail que meu pai me mandou me dizendo que:


"O universo está nos dando uma oportunidade individual para reestruturar nossas vidas. A maneira de sincronizar-nos é, primeiro, não ter medo, perceber que podemos mudar nossa consciência. A física quântica já disse: a consciência modifica a matéria. O que significa que sua vida depende daquilo que você pensa... Basta ter olhos para ver e ouvidos para ouvir".

Ok, Papai, vou abrir os olhos 
e atentar os ouvidos.
Saudades. 


(Flávia Côrtes - Novembro de 2012)
www.poetaflaviacortes.com.br

sábado, 24 de novembro de 2012

Melhor Menos

Um pouco cansada, um pouco gripada, um pouco confusa.

Eu costumava achar que preferia ser ‘muito’ em tudo...

Pensando bem, algumas coisas
são melhores  ‘um pouco’ mesmo.


Devaneio pela Palavra
Setembro de 2012

Flávia Côrtes

www.poetaflaviacortes.com.br

terça-feira, 13 de novembro de 2012


Lentes

O dia chora na janela
e o olho se perde
no mundo invertido
por dentro da gota.

Algumas vezes,
o foco 
desfoca.

Há coisas que 
só são visíveis 
com proximidade
e vagar.


Flávia Côrtes
Novembro de 2012

segunda-feira, 12 de novembro de 2012


Linha

Como cordão que une
a mãe ao feto,

Como novelo desemaranhado 
pacientemente no tear,

Como corda esticada
sobre o picadeiro,

a vida é um fio.

E, observando
o teu passo cuidadoso,
sorri, de qualquer forma
,
o tempo.

Então, 
desequilibra-te!


Novembro de 2012.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Ensaio sobre (des)humanidades.

Odeio conivências.
Acho o conivente pior que o mau.

Os maus?
Já os sei todos.
Por isso patéticos.
Por isso inofensivos.

Mas os coniventes?
São algo como metástases.

Novembro de 2012