Arquivo do blog

quinta-feira, 24 de março de 2011


Encaixe

Se quem pensou improvável
soubesse,
saberia inevitável.

Na figura do côncavo
e do convexo,
contrastes
se somam
e se integram.

E a tua luz
combina
as minhas sombras.

E o meu azul
espelha
o teu celeste.

E maciez suspira
na aspereza delicada
das mãos.
Provavelmente evitável.
Possivelmente improvável.
Completamente possível.

Irresistível.


(Flávia Côrtes - Março de 2011)
www.poetaflaviacortes.com.br

Textos devidamente registrados na Biblioteca Nacional e protegidos quanto aos seus direitos autorais.

======================================================
Poesia Falada: Confira tudo sobre o CD no link Verso em Voz
Maiores informações: contato@poetaflaviacortes.com.br
======================================================

2 comentários:

André disse...

Betty e Elizabete,

meninas, por que deixaram um tão belo poema no ar, assim, inacabado??? eu saí lendo e de repente.... olha a queda no vácuo! pôxa, quase que quebro uma perna, eu que já andava tão no alto...

Meninas, terminem o poema e depois me chamem, tá, quero ver o final !

Beijos e muitas saudades de vocês,

André

André disse...

Meninas,

desculpem o desajeitado que eu sou. Eu já havia comentado o "encaixe" final do Encaixe e, distraído como sou, acho que não anotei o captcha e fui embora. Visivelmente, perdi o comentário. Cáspite! Irra!

Faço-o de novo.

Agora sim, só o talento de vocês (em dôbro) para, não apenas ter compreendido o que sugeri, mas de tê-lo feito de maneira excelente. Emocionou-me esse novo final de um início que já me emocionara.

Lindo, Betty e Liz, adoraria ter escrito isso.

Beijos em dôbro,

André