Arquivo do blog

terça-feira, 17 de abril de 2012


Parto e Partitura


Uma palavra escrita no meio do papel
germinando um verso.
Assim me ensinava o poeta.

Lembrei da aula de ciências da pré-escola
da brancura do algodão rasgado
pelo germinar do broto verde

Achei bonito isso.

Queria eu ter uma criação assim.
Delicada e cuidadosa
Um parto de cegonha
Um escrever de agricultora

Queria eu plantar uma letra semente
em miolo de página branca
e ficar ali, paciente e maternal,
observando o brotar do grão.

Eu nunca consegui escrever olhando palavra.

E páginas brancas, no máximo,
me remetem a nuvens
ou a lençóis.

Eu só escrevo quando a Poesia olha para mim.

Às vezes, a Poesia se escancara em frente aos meus olhos
e as letras começam a me escorrer pelos dedos
sem que eu possa controlar.

É algo como peito de mãe
escorrendo leite no meio da rua
só porque ouviu choro de criança.
E nem era sua aquela criança.

Às vezes, estou quieta no meu canto
naqueles dias em que a gente acorda normal
naqueles dias em que a gente nem é poeta
um dia assim como o de hoje

Aí, vem uma lembrança ou um pensamento.
E, pelo canto do olho,
eu vejo a Poesia me olhando.

Já tentei, algumas vezes, desviar o olhar,
mas olho de Poesia prende olhar de Poeta.

Adeus, Dia Normal.
Cá estou eu de novo.

Escavo com as mãos versos ainda não escritos
como quem desenterra raízes.

Reconstruo jardins suspensos
ao toque de um dedo verde.

E o papel volta ao lençol.
Embrulho a cria e te entrego.

Embala.


Abril de 2012

Um comentário:

Administrateur disse...

Um texto virginiano, ousaria dizer, pela clareza objetiva que ele me passa. Esse verso "a Poesia se escancara em frente aos meus olhos / e as letras começam a me escorrer pelos dedos..." é de antologia, Flávia, merece mesmo uma moldura.

Todo o seu poema é assim, um comentário sobre essa presença que nos assiste e, por vêzes, apenas nos espia. Momento prazeroso que é o de vir aqui a teus jardins suspensos e deixar-me embalar por tuas letras-raízes, poetisa...

Repito, um poema antológico, Flávia. Boa semana, um beijo.

André (Administrateur malgré moi...)

André