Arquivo do blog

domingo, 14 de novembro de 2010

O domingo que nós não fomos


Eu não te convidei a desenhar domingo.

Meio porque sabia que não viria
Meio porque te queria,
dessa vez,
senhor do lápis.

Ah, amor, será que você não vê
que tenho olhos poetas?
Nasci com olho que olha prá dentro.

Então, te digo um poema
te beijo
e te deixo

Então, me visto um poema
me beijo
e me deixo

E me vou
em cores

Em mágico domingo,
levo eu o lápis.

Novembro de 2010

Um comentário:

André disse...

Saboroso texto, poetisa. Seus olhos olham prá dentro, mas para fora também, quando nos desenha versos assim com seus lápis de cores. Lindo, Flavinha, meus parabéns! beijos. A.