Arquivo do blog

domingo, 5 de junho de 2011


Poeme-se!

Desenha
com o corpo
o poema

Gira
Com a rima
Na ponta dos dedos

Inspira
Respira
Transpira

Diz o verso
Desde o estômago

Deixa
Te percorrer

Poeme-se!

Junho de 2011

Um comentário:

André Bessa disse...

Flavinha,

teu blog tem tantos seguidores mas um ou dois leitores! isso não é justo. Um poema como este teu, "Textual", tão belo na plurissemia que contém, no frescor de certas imagens e no conteúdo final dele, deveria chegar a mais pessoas. É injusto que se limite a um leitor apenas.

Interessante como o teu universo poético parece girar em torno da cama, essa cama que não sei se real ou imagística. Um traço de estilo.

Lindo, Falvinha, minha admiração de sempre.
Beijos com carinho.

André