Arquivo do blog

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Demais... ou só muito?

Hoje tranqüilizei um amigo que acha que ando trabalhando demais.

Verdade que as últimas três semanas foram muito atribuladas mesmo. E olha que para eu achar que está muito atribulado... uau!

É que já trabalho umas 10 horas por dia normalmente. Então, pode imaginar como foram essas semanas.

Achei carinhosa a preocupação. Sempre me emocionam amigos que cuidam.

Escrevi dizendo que vou ficar bem. Isso tudo é só um projeto, com data para acabar. Portanto, logo, logo, a vida volta ao normal.

Ok... confesso! O meu “normal”, no trabalho, também é acelerado. Só que isso não é culpa do trabalho. É culpa minha mesmo. É que eu não sei fazer nada moderadamente. É tudo muito. Por benção ou sina, eu não sei, mas sempre muito.

O trabalho me desafia e me instiga. E, se tudo o que me impacta, eu acabo fazendo muito, não ia ser diferente com trabalho... não mesmo!

A preocupação do meu amigo era que eu não deixasse, por conta disso, de viver.

E, em retribuição ao carinho e zelo, contei a ele. E conto para você!

Eu posso trabalhar 10, 12 horas por dia, 6 dias por semana, mas nem por isso deixo de fazer "muito" todo o resto também...

...vez em quando varo noite lendo um livro de cabo a rabo.

...volta e meia viro madrugada dizendo poemas até o sol clarear a beirada da noite.

...a qualquer hora que um amigo me diga "vamos não-sei-aonde-fazer-não-sei-o-quê", eu vou!

...manhã ou outra, me deixo ouvindo música... até que a música não me encha só ouvidos... me percorra corpo todo e me leve com ela pela casa.

... se não me apaixono por nenhum rapaz... que rapaz apaixonante é coisa escassa em tempos virtuais, onde as pessoas querem “tc com vc”... ah, então meu verso apaixona sozinho mesmo, que é para eu não deixar nunca de lembrar do encanto que se leva no olhar.

... a qualquer minuto, meu pensamento pára o mundo para eu olhar nuvem, transbordar olho no azul, contemplar passarinho, assistir risada de criança... e me dá de presente um átimo de encanto no meio da correria.

Verdade que, nessas últimas três semanas, não deu prá fazer nada disso. Com as 15 horas de trabalho, todo dia, que o tal projeto consumiu, o sono venceu a magia.

Só que isso é só um projeto. E já vai passar. E eu, com só 10 horas de trabalho...? Ah, esse tantinho eu tiro de letra!

Com esse tantinho
a poeta
invade
a gestora
a qualquer hora
a qualquer tempo
me dando
o tanto de lúdico
que eu preciso
prá me manter
lúcida.

Setembro de 2010

2 comentários:

Andrew disse...

Barbaro! Barbaro! Flavinha e bem a sua cara, bem este coracao alado que vc tem...Bjs Andy

André disse...
Este comentário foi removido pelo autor.